domingo, 21 de novembro de 2010

A palavra é: mentira

Quem nunca contou uma mentira, mesmo daquelas bem pequenininhas, atire a primeira pedra.





Mente-se por muitos motivos.

Pra embelezar o currículo, pra fazer um perfil bacana no Orkut, pra pegar fila de prioridade no supermercado fingindo estar grávida, pra dizer que a calça saruel ficou linda na sua amiga, pra deixar a namorada em casa e cair na farra, pra dizer ao chefe que não foi trabalhar porque a mãe ficou doente, pra enganar uma pobre moça ingênua dizendo que a ama mas imaginando as posições que ela pode fazer, enfim, mentir é algo tão comum que se tornou algo involuntário.

As pessoas mentem de forma tão espontânea que nem elas mesmo estão conseguindo diferenciar o que é verdade.

E nem adianta dizer: "Não meti. Ocultei a verdade!"

Tudo tem o mesmo efeito!

Mentir sempre é mais fácil do que falar a verdade, até porque, mentindo se consegue muito mais benefícios, não é mesmo?

Não, não é!

Mentindo você ocupa o lugar de uma pessoa que precisa mais que você, pode conseguir um emprego mas um dia é desmascarado e desmoralizado, cria a fama de faltoso até o chefe descobrir que sua mãe nem mora na cidade, reparte em caquinhos o coração de pessoa que nunca te fez mal algum.

Mentiras as vezes são necessárias, mas não obrigatórias. Se você usasse mais que os supostos 10% do seu cérebro perceberia disso.

Esteja certo de que para cada ação existe uma reação e você deve estar preparado para enfrentar as consequências.

Profético? Não! Realidade!

Ou você acha que um dia não ficará velho e um sabidinho poderá lhe tirar o lugar na fila de prioridade? Ou a moça ingênua ludibriada por um canalha poderá ser a sua filha?

Sinceridade é algo cada vez mais raro, diria que é quase um tesouro valioso.
E ser sincero não é dizer o que sente ou falar "Nossa! Como você tá acabada!" para aquela amiga que você não vê desde os tempos de colégio.

Sinceridade, bom senso e caráter andam de braços dados, ou melhor, deveriam ser assim. Quase siameses.

Mas por quê não é?

Ora, porque somos seres humanos.

Aquela classe criada com planos para ser perfeita, mas que algum ingrediente podre transformou nessa aberração que todos nós somos.

Seres medíocres, mesquinhos, egoístas...etc. Impossível listar todas as nossas ilustres características que nos diferencia dos outros animais e que nos torna seres humanos.

Sinceramente, a fôrma em que o nosso barro foi moldado tinha sérios problemas de design...impossível sermos mais tortos do que somos.

Ironicamente buscamos a perfeição. Trabalho em vão.

Já dizia Compadre Washington:

"pau que nasce torto, nunca se endireita!"


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu rabisco por aqui!Em caso de dificuldade, envie seu comentário para o endereço rabisco-criativo@hotmail.com

Críticas são bem-vindas, mas educação e bom senso também.

Obrigada.