sexta-feira, 15 de abril de 2011

A milagrosa jornada...

... de uma sacola plástica.




"Hoje vamos explorar o ciclo de vida dessa criatura curiosa - A Sacola Plástica - e a sua viagem ao seu habitat, o oceano Pacífico.

Uma vez solta no mundo selvagem, a sacola plástica não sabe qual será seu destino. Ela se arrasta no inicio, mas em breve, com a ajuda do vento, a sacola será liberada para uma longa jornada até seu destino final – O grande trecho de lixo do Pacífico.

Utilizando o vento como guia, a sacola plástica se movimenta pela cidade e pelo ar. Um parque da cidade. Este parque pode parecer um lugar seguro para a sacola plástica, mas o perigo mora ao lado. Aqui a sacola encontrará muitos perigos, incluindo um dos mais perigosos: Os garis. 

Coitadinho. Parece que sua jornada acaba por aqui.

Enquanto isso, nossa pequena sacolinha encontra um dos animais mais perigosos da natureza, o Yorkshire. Uma vez que o York morde sua vitima, será difícil sobreviver. Mas, usando seu tamanho superior, nossa sacolinha plástica escapa das garras do Yorkshire e voa pela sua vida.

No caminho de sua milagrosa viagem a sacola correrá vastas distancias por bairros, parques e cidades.

Chega a noite. Nossas câmeras noturnas captam pela primeira vez na história a sacola plástica na escuridão. Fenomenal.

Os vastos rios canalizados da Califórnia, casa para dezenas de animais, literalmente. Muitas sacolas plásticas não conseguirão escapar. Os galhos das árvores não permitirão.

Tanto na água como no ar, a capacidade natural de flutuação da sacola a torna uma excelente nadadora. Agora está perto, ela pode sentir. Enfim, a sacola passa pelos portões do mar aberto. Muito cuidado para escapar das centenas de animais que se alimentam de sacolas.

A sacola viajará centenas de milhas para se juntar a comunidade do plástico, conhecida como: O grande trecho de lixo do Pacífico. O trecho de lixo é um oásis para o plástico. Milhões de toneladas de lixo plástico ficam encurralados ali, pela correnteza. Seu tamanho é duas vezes maior que o estado do Texas. 

Quase nunca biodegradável, o plástico pode viver indefinidamente e pacificamente, convivendo com outras milhões de espécies derivadas do petróleo, até se quebrarem em pequenas partículas de plástico, assim, completando o seu ciclo de vida.

Sacolas plásticas não fazem parte do Pacífico.
Ajude a parar nosso consumo de 19 bilhões de sacolas plásticas por ano na Califórnia."

(Tradução livre da locução)

-
Fonte: Ciclo Vivo

Um comentário:

  1. Impressionante como nós não atentamos p/ um fato simples e desastroso (o uso de sacolas plásticas). Confesso que tem sido difícil largar este hábito. Tenho uma sacola de pano que comecei a utilizar, mas parei. Aí uso as sacolinhas de plástico p/ forrar as três lixeiras que tenho em casa. Mas é urgente repensarmos, diante dessa jornada trágica que ela tem, sua utilização.

    Parabéns pelo post, moça!

    Té!

    ResponderExcluir

Deixe seu rabisco por aqui!Em caso de dificuldade, envie seu comentário para o endereço rabisco-criativo@hotmail.com

Críticas são bem-vindas, mas educação e bom senso também.

Obrigada.