sábado, 8 de setembro de 2012

Com a roupa que quiser, ué!

Nunca fui muito ligada na moda, apesar de inconscientemente ela sempre estar me rondando, assim como ronda todos nós. Ou você acha que o jeans que usa e o tênis que calça não nasceram na mente de alguém?

De uns tempos pra cá, a internet permitiu a democratização dos espaços de tal forma, que todo mundo pode emitir sua opinião, ainda que muitas vezes estúpida ou não, e defendê-la com unhas e dentes. E foi meio por aí que os blogs de moda nasceram e se multiplicaram absurdamente, pior que coelho ou rato, como queira. E de it girl em it bag, todo mundo quer mostrar o seu estilo, as marcas (ou não) que usa, jabás e afins, em uma espécie de exercício de auto-estima diária... ou narcisista mesmo.

De fato, existe algo de podre no reino da Dinamarca. Futilidades existem e a menos que você queira viver no meio do mato comendo raízes, sem se render a tecnologia e a sociedade capitalista (falei bonito!), não dá pra fugir dessa avalanche consumista. Apenas aprender a dosar o que pode, deve e precisa ser realmente consumido. E o que é luxo pode ser transmitido em uma bolsa de grife famosa pra você é um casaco quentinho pro mendigo numa noite fria. 

Em tempos onde os valores e princípios estão invertidos, embaralhados ou sumiram mesmo, às vezes é difícil se manter em pé com tanta turbulência.

E confesso: frequento muitos blogs de moda. Publicitário com cabresto não anda, não cresce, não desenvolve. E até mesmo por ser mulher, sinto-me naturalmente seduzida por esse mundo fashion, claro, com moderação...bastante, aliás. Porém, visitar esses espaços me deu uma visão crítica do meio, bem mais aguçada por sinal, refletindo até no meu modo de vestir e agir. Sentir-se bem na própria pele, ainda que os outros não nos vejam assim, é a chave da auto estima pra cima. A 'sem-vergonhice', no sentido de aceitar-se e valorizar-se em todos os aspectos levou mais de duas décadas para me alcançar e, olha, tem sido muito bom.

Devaneios à parte, vim pra falar de criatividade, seja lá onde for... e na moda também vale, afinal, é expressão e arte da forma mais pessoal possível.

Nos passeios internéticos da madrugada, conheci uma já famosa moça de 42 anos e espírito tão jovem que ainda está por nascer. Publicitária (\o/), colunista e escritora Cris Guerra tem um jeito todo especial de se expressar no que veste, usa e calça, nitidamente sem seguir regras alheias, mas ditando as suas próprias. E quebrando-as também.


Com o blog 'Hoje eu vou assim', que já passa do seu quinto ano de existência, Cris posta muito mais que looks diários cheios de personalidade, elegância e, claro, bom humor. A própria definição do espaço explica em resumo:

'É sendo ela mesma e passando adiante essa mensagem que Cris 
propõe uma nova discussão sobre juventude, beleza e autoestima.'

E como é bom sorrir pra vida, ainda que ela nem sempre nos dê muitos motivos pra isso. A história de vida da Cris é um exemplo de desafio e recomeço e o sorriso que ela expressa prova bem isso. Procura por lá e você vai entender.



Escritora de mão cheia, ela também possui outros dois blogs deliciosos de ler. 

Um sobre o filho, Francisco (Cartas pra Francisco) e outro sobre o assunto mais falado da humanidade: o amor (amor e ponto). 



Se você busca leitura divertida e inspiradora, são ótimas indicações.

Pra encerrar, qual tal um vídeo inspirador também?


#BoaNoite


Um comentário:

  1. Você tendo a temática fashion como abordagem principal, não se engessou e falou de questões sociais e porque não antropológicas. Parabéns, é esse seu espírito sagaz e empreendedor que me faz vir sempre aqui, beber na fonte que realmente hidrata...

    ResponderExcluir

Deixe seu rabisco por aqui!Em caso de dificuldade, envie seu comentário para o endereço rabisco-criativo@hotmail.com

Críticas são bem-vindas, mas educação e bom senso também.

Obrigada.