sábado, 14 de março de 2015

Tô chegando, de mansinho, mas tô chegando!

OOOêê genteee!

Diante de uma página em branco do Word, há algumas semanas eu ensaio meu retorno ao mundo ~ blogueirístico.~

O real motivo do meu afastamento não é preciso ser revelado, então, faz de conta que fui abduzida por algum povo extraterrestre e que passei por experiências perturbadoras...hahaha

Humor sem graça à parte, estou tentando me reabilitar diante do trauma de ter nascido humana e viver neste planeta maluco, onde cada dia que passa, temos menos motivos para permanecermos vivos.

Desde que me afastei do blog, aconteceram muitas coisas por aí: gente que morreu (Tchau Chaves, Suassuna, Inezita, etc...); gente que nasceu (anota aí uns milhões!); manifestações de quem quer ver a ditadura e o ‘impitchimã’ da presidente (presidentA não existe!); crimes assustadores com direito a narração de Marcelo Rezende; chuva de meteoros na Rússia; Xuxa saiu da Globo; uns bilhões de vídeos de gatinhos e crianças fazendo fofices; enfim... Impossível listar tudo!

A verdade é que ta difícil acordar todos os dias e imaginar que o dia será melhor que o anterior, são tantas dificuldades, percalços, problemas, perdas, tragédias...Gzuiz!

No início de 2013 me vi obrigada a mudar minha vida novamente de lugar por circunstâncias alheias a minha vontade. Na época não consegui entender bem o porquê de tantos planos desfeitos. De repente voltei para um lugar do qual não gosto, para morar onde não queria, trabalhando com coisas que eu queria menos ainda. 

Mas, é a vida! Sabe aquela história ‘se a vida lhe der limões, faça uma limonada’? Pois é, foi isso que fiz. Depois de passar um bom tempo lamentando minha condição teoricamente fracassada, finalmente um dia passei a enxergar as coisas de outra forma e aprendi uma lição muito valiosa. Lição essa que eu sempre li nos livros de Augusto Cury, mas que dificilmente conseguimos aplicar na prática.

PARE DE SE VITIMAR! Você não é vítima, é autor da sua própria história!
Clichê...muito clichê. Eu sei! Tudo verdade, garanto.

Assim que parei de enxergar as coisas através do cabresto, tudo ficou mais claro, menos doloroso de encarar. Descobri uma nova profissão (tema para o próximo post), alimentei um novo sonho (idem) e abri o coração para novas perspectivas.

Viu?

Viver não é fácil, aliás, já nascemos chorando, não é mesmo? Shakespeare dizia:

“Choramos ao nascer por chegarmos a esse imenso cenário de dementes.”

Então chore, chore muito, chore bastante. Jogue a dor fora!
Você vai cumprir sua jornada caindo e levantando,
ganhando e perdendo,
sonhando e se frustrando,
nascendo e morrendo.
Mas, sorria! Faz parte.
O porquê ninguém sabe.
Apenas seguimos à espera
de que um dia acabe.



#TôDeVolta #Tôchegando


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu rabisco por aqui!Em caso de dificuldade, envie seu comentário para o endereço rabisco-criativo@hotmail.com

Críticas são bem-vindas, mas educação e bom senso também.

Obrigada.